Quarta-feira, 5 de Julho de 2017

Grosseiro, indecente e ordinário

salvador sobral 1.io

Salvador Sobral ganhou o Festival da Eurovisão. Com a sua irmã Luísa Sobral. Nenhum cantor português nem nenhum autor ou compositor português tinha alguma vez, na História de Portugal alcançado tal feito.

Ao contrário de Saramago que manifestou a sua opção pela integração de Portugal numa Espanha alargada sob o domínio castelhano e que era extremamente antipático, os irmãos Sobral encantaram os portugueses.

As primeiras palavras de Salvador foram, mais ou menos, estas:

- Ganhámos com uma canção bonita e não com uma foleirada, como é costume.

São palavras duras, mas que foram de imediato apoiadas pelo responsável da Eurovisão ali presente. A representação portuguesa não ganhou por causa da máquina comercial que tinha por trás, que talvez não tivesse, mas pela qualidade e contra as maiores máquinas comerciais.

O que aconteceu foi motivo de alegria para muitos portugueses. Muitos de nós esperámos alguns cinquenta anos por este momento. E precisamente por este momento, pela vitória de uma bela canção portuguesa, como tantas que já lá levámos, e não por alguma foleirada, como algumas que também levámos já à Eurovisão.

Foi o momento certo para os Velhos do Restelo deitarem a cabeça de fora do covil e se lançarem contra o rapaz. Esses e os invejosos. Num programa de rádio, em Espanha, chegaram a ser sarcásticos por causa de Salvador ser uma pessoa doente do coração. Para nós deve afinal ser mais um motivo de orgulho, pois, mesmo doente, venceu e deu-nos uma grande alegria, colocando Portugal e a cultura musical portuguesa num lugar mais de acordo com a realidade.

A interpretação não precisou de se prostituir: Salvador nem sequer se despiu, travestiu, nem outras coisas a que temos assistido de quem quer vencer de qualquer maneira.

O poema não precisou de se prostituir: nem asneiras, nem repetições enfadonhas, nem palavras em inglês fácil e sem sentido, mas um poema, talvez difícil, como muitos dos de Antero, Pessoa ou Luís Vaz.

A música não se prostitui: era mesmo música e não batuque suportado por gritaria.

Não foram os efeitos especiais que cativaram o público europeu e mundial, mas a composição e a interpretação.

Ainda assim, há gente nas redes sociais e na comunicação social a atirar-se aos irmãos Sobral. Coitados!

No espectáculo a favor das vítimas dos incêndios, perante tanto aplauso despropositado, aparentemente, Salvador Sobral, quis tirar a prova e disparou:

- Vocês batem palmas de cada vez que faço ou digo qualquer coisa. Se eu der um peido, vão bater palmas.

Caiu o Carmo e a Trindade! Que grande ordinarice! Como era possível um recém chegado à ribalta do negócio do entretenimento atrever-se a tanto.

Atreveu-se e a plateia deu-lhe razão. Correspondeu ao peido com forte aplauso. Ainda que possam não ter percebido o que o cantor disse, continuaram a dar-lhe razão: bateram palmas sem saber a quê. A integridade da pessoa foi a mesma de quando ganhou o Festival, em Kiev: a verdade, doa a quem doer.

Dispararam de muitos lugares indignados os mesmos que viram Herman José na televisão ficar em cuecas, ou que o ouviram falar com um rapaz adolescente sobre os comentários que ouvia na escola acerca das mamocas da sua mãe, uma cantora famosa, os que perdem tempo com o Love on Top ou com o 5 para a Meia-noite, os mesmos cujos filhos e netos aprendem e ensinam na escola os maiores palavrões e ordinarices aos colegas, repetem junto dos professores e em casa aos pais. Os que dispararam são mesmo aqueles que enchem as suas páginas nas redes sociais com as maiores indecências e os maiores palavrões, especialmente para defenderem as suas cores clubísticas ou partidárias. Que nos valha o bom senso!

Mas o Salvador Sobral, que até veio depois pedir desculpa, é o mau.

Como pode um país onde apenas um conseguiu alcançar determinada meta atirar-se cheio de inveja contra ele?

Grosseiros, indecentes e ordinários são estes e não aquele que lhes chamou acertadamente frívolos e maria-vai-com-as-outras.

 

Orlando de Carvalho

publicado por nivelar-por-cima às 15:58

link do post | comentar | favorito
 O que é? |
60 comentários:
De Esmeralda Mesquita a 6 de Julho de 2017 às 15:40
Mais de acordo com o texto é impossível. Esta é a verdade nua e crua. Ainda bem que há gente neste país capaz de ver. Obrigado.
De nivelar-por-cima a 7 de Julho de 2017 às 23:30
Eu é que agradeço.
De Maria Helena Rodrigues a 11 de Julho de 2017 às 19:00
Concordo vivamente! Sinto muito orgulho do Salvador e da Luísa.
Ele é genuino, sem tabus.
De Eduardo F. Lopes a 9 de Julho de 2017 às 11:16
De acordo com o texto, e sabem mais??, essa aparente irreverencia do Salvador é, a meu ver, a prova de que é autentico e não deixa que sejam outros a dizer o que lhe parece que deva ser dito.
Não é o caso da maioria de quem nos governa ou que toma decisões que põem em causa as nossas vidas, manhosamente fazem o discurso que, embora agradável de se ouvir peca pela falta de verdade e realismo.
Para mim os irmãos Sobral são um otimo exemplo da, e para a nova geração de portugueses.
Já era Fã da Luísa muito antes destes últimos eventos. Agora ainda mais??.
FORÇA manos, FORÇA Luísa, FORÇA Salvador.
De Anónimo a 11 de Julho de 2017 às 14:53
Magnifico texto.w
De Anónimo a 14 de Julho de 2017 às 14:05
Ainda bem que há gente como tu, para o Sobral poder sobreviver...
De Anónimo a 6 de Julho de 2017 às 22:54
Concordo plenamente com Orlando de Carvalho.
Muito bem .
Haja alguém diga umas verdades a esses invejosos.
De nivelar-por-cima a 9 de Julho de 2017 às 22:39
Obrigado
De Anónimo a 6 de Julho de 2017 às 23:30
Absolutamente de acordo. Obrigada pelo discernimento, difícil de encontrar neste povo culturalmente analfabeto. Salvador, consciente deste povo "maria vai com as outras" e com a naturalidade que o caracteriza, disse através do "peido", que não precisam ser histéricos com ele Salvador, mas que sejam sensíveis e apreciadores de boa música. A Arte, especialmente a música, é a linguagem universal, como se provou com este euro festival prova todos os dias a quem ouve música. Mas as pessoas estão conectadas com os verdadeiros outras "artes", os peidos da tv e preferem esses! Aguenta Salvador!...vais pagar o preço até as pessoas te "perdoarem" porque compreenderem, dúvido. O "teu" peido destruío-lhes o orgulho.
De Cidália Guerreiro a 6 de Julho de 2017 às 23:43
Absolutamente de acordo. Obrigada pelo discernimento, difícil de encontrar neste povo culturalmente analfabeto. Salvador, consciente do povo "maria vai com as outras", e com a naturalidade que o caracteriza, disse através do "peido", que não precisam ser histéricos com ele Salvador, que tem uma carreira antes do "amar pelos dois" e ninguém quis saber. A excelência da interpretação que tem o Salvador, não aconteceu nem acontece por magia, acontece porque Salvador já era um grande intérprete e continuará a ser. A Arte, especialmente a música, é a linguagem universal, como se provou com este euro festival e se prova todos os dias a quem ouve música. Mas as pessoas estão conectadas com outras "artes", os peidos da tv e preferem esses! Aguenta Salvador!...vais pagar o preço até as pessoas te "perdoarem" porque compreenderem, dúvido. O "teu" peido destruío-lhes o orgulho.
De nivelar-por-cima a 7 de Julho de 2017 às 23:29
Obrigado Cidália. Quando nos abrimos, Portugal (como o mundo) pula e avança. António Gedeão/Manuel Freire.
De Sotnas a 7 de Julho de 2017 às 07:23
Esta publicação convenientemente "protectora" é o que eu chamo confundir "cócó" com pasteis de Belém....

A capacidade artística do menino mimado não desculpa a má criação perante o Presidente de Portugal, os portugueses e acima de tudo aos homenageados.

Não chego ser bisneto de um grande banqueiro e eu prefiro pasteis de Belém.
De nivelar-por-cima a 7 de Julho de 2017 às 23:22
Protectora?
De Teresa Varela a 7 de Julho de 2017 às 10:31
Bom dia,
Já este assunto tinha praticamente falecido, quando me deparo, hoje, com este seu artigo.
Não tenho ídolos, seja de que espécie for. Logo não faço a defesa ou ataque, seja de quem for, apenas por uma questão de clubismo, partidarismo ou qualquer outro ismo.
Não conheço o Salvador. Acho que tem boa voz, que interpreta com sentimento e que tem conhecimentos, habilidades e competências a nível musical. Tem uma postura física e até comportamental muito próprias e, talvez, mesmo peculiares.
Ganhou o festival da Eurovisão, certo. que é uma coisa que a larga maioria dos portugueses já nem vê, nem lhe interessa há mais de 20 anos. Mas, claro, ganho, foi um orgulho. Também fiquei contente.
O Salvador tem um problema de saúde, é triste , mas há milhões de pessoas com problemas de saúde, o que quer dizer que isso não o torna nem melhor, nem pior do que quem quer que seja, nem isso tem nada a ver com a forma como ele se comporta em público ou, mesmo que tenha, na verdade, nós não temos nada a ver com os problemas de saúde dele.
O que esteve errado na atitude do Salvador, que chamou estúpidos e ignorantes aqueles que o aplaudiam, não foi tanto tê-lo feito. mas o local em que o fez e a razão pela qual existiu aquele evento. O público que lá estava não foi ver o Salvador, nem nenhuma artista em particular.
Podem lá ter ido pelas mais diversas razões e vaidades, mas o motivo mais imediato era o de contribuir para ajudar as vítimas de Pedrogão Grande.
Assim, o comentário do Salvador foi absolutamente desadequado. As pessoas aplaudiram, como aplaudiram toda a gente. Ainda que possam não saber que género musical é aquele que o Salvador canta.
Se as pessoas são chamadas de estúpidas e ignorantes e continuam a aplaudir, é um problema delas.
Mas o que o Salvador disse é da responsabilidade dele. Não da responsabilidade do público ignorante, nem das vítimas de Pedrogão Grande, nem dos telespetadores, nem da sociedade, nem do Papa.
Inoportuno, desadequado e desrespeitoso, num momento em que se homenageavam as vítimas do maior e mais grave incêndio de que temos memória.
Fico por aqui, pois este tema até já cheira mal O que não é nada estranho atendendo ao motivo que o originou
De nivelar-por-cima a 7 de Julho de 2017 às 23:23
Se fosse o Herman José a dizer o mesmo, talvez até tivesse graça, não? E nem era caso, era normal, certo?
De Teresa a 8 de Julho de 2017 às 03:52
O Herman?
Nas circunstâncias em que esta situação se passou ninguém teria graça. É aquela coisa dos mortos, sabe. Dos pais que perderam filhos, das crianças que morreram, das pessoas que sobreviveram, mas estão queimadas, perderam as casas, perderam o sustento.
Enfim, não sei como lhe explicar.
Quanto ao Herman, deixei de lhe achar graça quando começou a utilizar palavrões para "ter graça" e assim agradar às massas.
Um palavrão não é de todo um coisa engraçada. Apenas em certas circunstâncias pode ter graça, pelo inesperado e pelas caraterísticas de certo tipo de pessoas ou circunstâncias.
O peido não é palavrão, é calão, mas dispenso-o perfeitamente na televisão e outros lugares semelhantes.
Mas, de qualquer forma, o Herman é um humorista, o Salvador um músico ou cantor.
Concordemos em discordar
De Moisés Alves a 10 de Julho de 2017 às 23:28
Aqui está um comentário feito por alguém com discernimento. O erro do comentário, foi a escolha do local para o fazer. O mínimo que se pedia era respeito pelos motivos que levaram à realização do espetáculo. Por muita razão que o Salvador possa ter aquele não era o local para aquela boca tão infeliz.
De Maria Gomes a 11 de Julho de 2017 às 13:03
Inteiramente de acordo! Fiquei muito feliz por o Salvador Sobral ter ganho o festival e por ter representado tão bem Portugal . Inveja?? Não tenho nenhuma, só orgulho!!! Mas isso não justifica a falta de educação a que simpáticamente têm chamado "irreverência". É preciso saber estar e acima de tudo respeitar toda a gente. Até os que considera estúpidos e ignorantes por estarem a aplaudir sem grande critério (no entender dele) mas com entusiasmo e vontade de o homenagear. A meu ver perdeu uma excelente oportunidade para estar calado!
De Paulo a 12 de Julho de 2017 às 02:26
Excelente resposta/comentário Teresa Varela! Em todos os aspetos, aqui sim, está um extraordinário texto. Kudos!!!
De Helena a 7 de Julho de 2017 às 12:18
assumo: faço parte do grupo dos Grosseiros, indecentes e ordinários. E acho tremendamente de mau gosto chamar á concorrência "foleiros"
Da próxima vez que uma claque insultar a outra façam o favor de se calarem porque pela vossa ordem de ideias é saudável isso. É saudável desvalorizar os outros só porque ganhamos algo. É saudável numa gala solidária dizer que se vai dar um peido porque se está incomodado com a idolatria. No entanto o menino que não quer ser um ídolo concorre aos programas dos ídolos, o menino que não pactua com musicas foleiras e pimbas participa num festival pindérico...
Não gosto do rapaz, não acho a letra nada de especial (é um hino à solidão credo), não gosto da forma como ele canta, não concordo com a postura dele no mundo da musica, não gostei da forma como ele explorou a doença, nem acho nada disto saudavel. Nem quem o idolatra nem quem não o idolatra.
Mas eu sou uma invejosa com dor de peido.
De nivelar-por-cima a 7 de Julho de 2017 às 23:27
A mulher que ganhou o Festival da Eurovisão há um ou dois anos e que tinha barba, os Homens da Luta e muitos outros já eram foleiros antes do Salvador ganhar o Festival. Havia era falta de coragem de dizer que aquilo era um atentado artístico foleiro. Salvador disse-o, por outras palavras. E foi secundado pelo representante da Eurovisão, penso que o presidente. Essa já deve ser uma opinião de peso.
De Rolando a 11 de Julho de 2017 às 10:15
Resta saber se faz então a crítica por não gostar do rapaz, da sua música (e olha ele a ficar preocupado com isso), ou se pelo que aqui verdadeiramente se discute.
E como sempre digo: se nunca ganhamos nada... é porque é o nosso fado! Se ganhamos... é só dor de corno e deita abaixo!
E VIVA AO PORTUGAL DOS PEQUENINOS!!
De Anónimo a 8 de Julho de 2017 às 14:14
pura inveja nada mais. Sobral tem muito valor. Sim
De lopes jose a 8 de Julho de 2017 às 18:44
bem estou de acordo Eu penso que o que ele disse para mim é simplesmente para que as pessoas parem de dar palma ou gritar a cada coisa que um cantor ou outro diga
As pessoas mesmo que seja merda bate palmas .
Pois este cantor gagnou e muito bem, Que continue assim e que as pessoas Antes de aplaudir que Saibam porque estao a aplaudir
De MARIA a 18 de Agosto de 2017 às 04:19
salvador nao devia de ter dito peido devia de ter dito pum assim talvez gostassem, cada um com seu feitio e maneiras
certamente quem critica o peido do salvador adorou a entrevista da vieirinha la era tudo permitido
enfim deviam era de morder a língua quando falam mal dos outros e pa nao gostam nao comam


De Eugenia Santo a 8 de Julho de 2017 às 19:57
100% de Acordo. Eu chorei no final da euroviao ( filmei a ultima votaçao etc...)
E chorei com a falta de inteligencia q se cola ao povo Portugues... ele tem razão foi de estremos a sua chegada e é de estremos a persseguição que lhe fazem.. o povo bate palmas a tudo num dia e arruina de pés juntos no dia seguinte!! Valha-nos.... sei lá acho que ja ninguem nos valha!!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
29
30
31

.posts recentes

. TVI 24 censura Ricardo Ar...

. Rio Ave

. Dia de Anos

. Filarmónica Fraude

. Pressa de chegar ao céu

. Avós caducos

. Pais da geringonça luso-v...

. República de Vigaristas (...

. Em cadeira de rodas, mas ...

. Contra os pais. Contra a ...

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Fogo em Alcafache

blogs SAPO

.subscrever feeds