Sexta-feira, 11 de Agosto de 2017

Filarmónica Fraude

filarmónica fraude.jpg

Uma das canções que mais vezes me ocorrem à memória, daquelas que já não se ouvem na rádio, é Animais de Estimação.

Música e letra verdadeiramente originais, ao menos para a época, de lançamento, 1969. A banda Filarmónica Fraude torna-se conhecida nesse ano, lança três discos e termina no ano seguinte. Ficou a boa memória.

Na época artificial em que o politicamente correcto é sempre mais valorizado que a verdade e a justiça, certamente movimentos e partidos defensores (eu acho que são mais pretensos defensores que se entusiasmam muito com o folclore zoológico que legítimos defensores) de animais contestariam esta esplêndida composição, talvez apelidando-a de zoofóbica.

A canção Animais de Estimação

 

Um poema mordaz para a sociedade fútil da década 1960

 

Animais de Estimação

Visons e leopardos
Sobem o Chiado
Criados de libré trincham faisões
Assentam-se arraiais em palacetes
Enfeitam-se uns e outros de brasões.

Com nomes de nobreza sem origem
E o mesmo diploma que a criada
Agarram-se a tudo o que não têm
P´la casa do Estoril hipotecada.

 

 Madames enfeitadas de perucas
matam o seu tempo inutilmente
Em canastas p´la noite fora
Propõem causas nobres pelas gentes.

 

Assim defino a vida de quem tem
Animais de estimação de vida sã
E em barracas com ar condicionado
Bichinhos que devoram croissants.
Cães com casaquinhos de cambraia
E gatos com golinhas de astracã.

 

Assim defino a vida de quem tem
Animais de estimação de vida sã
E em barracas com ar condicionado
Bichinhos que devoram croissants.
Cães com casaquinhos de cambraia
E gatos com golinhas de astracã.

Assim defino a vida de quem tem
Animais de estimação de vida sã
E em barracas com ar condicionado
Bichinhos que devoram croissants.
Cães com casaquinhos de cambraia
E gatos com golinhas de astracã.

Os elementos iniciais da banda eram:

António Avelar de Pinho

António Luís Linhares Corvêlo de Sousa

António Antunes da Silva

João Manuel Viegas Carvalho, que só participou na gravação do EP Flor de Laranjeira/Menino.

Júlio Vital dos Santos Patrocínio, baterista

José João Parracho, baixo.

 

publicado por nivelar-por-cima às 16:47

link do post | comentar | favorito
 O que é? |

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
29
30
31

.posts recentes

. TVI 24 censura Ricardo Ar...

. Rio Ave

. Dia de Anos

. Filarmónica Fraude

. Pressa de chegar ao céu

. Avós caducos

. Pais da geringonça luso-v...

. República de Vigaristas (...

. Em cadeira de rodas, mas ...

. Contra os pais. Contra a ...

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Fogo em Alcafache

blogs SAPO

.subscrever feeds